Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Casos de Eduardo Cunha viram chacota após prisão de doleiros

Processo de "pequenas causas"

Por Gabriel Mascarenhas 9 Maio 2018, 06h27

A prisão dos cerca de 30 doleiros na semana passada, durante a Operação “Câmbio, Desligo”, abriu à Lava-Jato uma nova via investigatória de extensão inimaginável.

Se Alberto Youssef, sozinho, conseguiu entregar em delação dados que viraram o mundo político do avesso, imagine o potencial ofensivo das informações de três dezenas de personagens do mesmo ramo.

Em Brasília, a “Câmbio, Desligo” já gerou piadas com algumas das mais notórias excelências que hoje dão expediente no presídio, entre elas o ex-presidente da Câmara.

Diz um profundo conhecedor dos corredores da capital: “Se houvesse um critério jurídico comparativo, poderíamos dizer, desde a prisão dos doleiros, os processo de Eduardo Cunha viraram assuntos de pequenas causas”.

Nem tanto…

Continua após a publicidade
Publicidade