Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Caboclo se nega a prestar depoimento ao Conselho de Ética

Presidente afastado da CBF diz que processo tem 'vícios e nulidades'

Por Lucas Vettorazzo 9 jul 2021, 15h49

O presidente afastado da CBF, Rogério Caboclo, enviou petição ao Conselho de Ética do Futebol anunciando que não prestará depoimento ao órgão. Uma oitiva com o dirigente estava marcada para esta sexta-feira, 9.

Caboclo foi afastado da CBF no início de junho por suspeitas de assédio sexual e moral contra funcionárias da confederação. Ele foi suspenso do cargo inicialmente por um prazo de 30 dias que depois foi postergado por mais 60. 

Na quarta-feira, 7, a defesa anexou sua versão escrita dos fatos ao processo que corre no Conselho de Ética, entidade que é independente da CBF. 

Na quinta, os advogados de Caboclo enviaram petição à presidente do conselho e relatora do processo, Gladys Regina Vieira Miranda, avisando que o dirigente não participaria do depoimento presencial marcado para o dia seguinte. 

Na peça, Caboclo diz que todas as informações já foram prestadas na versão escrita de sua defesa e que não haveria motivo para sua oitiva. Ele afirma ser vítima de perseguição e de um afastamento ilegal. 

Ele diz ainda não reconhecer a comissão como um órgão competente para decretar o seu afastamento provisório e que as denúncias são “manifestamente ilícitas” e “imprestáveis”, frutos de um processo “repleto de vícios e nulidades”. 

Continua após a publicidade
Publicidade