Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Busca por saúde mental cresce na pandemia

Em março, plataforma de atendimento online registrada 22.000 pacientes. No final de junho, já eram 130.000.

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 13 jul 2020, 10h46 - Publicado em 13 jul 2020, 09h32

Isolamento social, medo do contágio, dificuldades financeiras, incertezas sobre o futuro. O que não falta são motivos para esquentar a cabeça e tirar o sono de muita gente nesses tempos de pandemia. Para lidar com os desafios, cada vez mais o brasileiro está buscando ajuda profissional – mas desta vez de um jeito diferente. Para vencer as limitações do deslocamento, o apoio psicológico agora é pela tela do computador ou do celular.

ASSINE VEJA

Vacina contra a Covid-19: falta pouco Leia nesta edição: os voluntários brasileiros na linha de frente da corrida pelo imunizante e o discurso negacionista de Bolsonaro após a contaminação
Clique e Assine

Desde março, no início das regras de quarentena, até o final de junho, a Vittude tem observado um crescimento expressivo no número de pacientes cadastrados na plataforma de atendimento online. O número pulou de 22.000 para 130.000 em apenas quatro meses. A base de psicólogos no sistema subiu de 4.000 para 6.000.

A startup também registrou crescimento de seu produto corporativo, o Vittude Corporate. De março pra cá, a procura aumentou 500%. Ao todo, desde que a Covid-19 chegou ao País, 47 empresas contrataram o serviço, cujo objetivo é auxiliar na saúde mental dos colaboradores das companhias. Dentre os clientes, SAP, Grupo Boticário e Raia Drogasil. Nos quatro meses, a startup viu seu faturamento crescer 350% – e os funcionários que, em março, eram 13, agora são 39.

Publicidade