Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Brasileiro teme assalto, mas não muda hábitos, apesar do medo da violência

87,6% dos brasileiros afirmam não terem sofrido violência nos últimos 12 meses

Por Pedro Carvalho - Atualizado em 17 abr 2019, 17h54 - Publicado em 17 abr 2019, 11h35

O brasileiro teme assalto, mas não sofreu nenhuma violência nos últimos doze meses, nem deixou de fazer algo por medo da criminalidade.

Pelo menos é o que mostra levantamento inédito do Paraná Pesquisas.

Cerca de 51,2% dos brasileiros não deixaram de fazer algo por medo da violência – 48,8%, sim.

Entre os que tomaram precauções, sair à noite (20,4%) e sair de casa (12,1%) são os cuidados mais comuns.

Publicidade

Nem mesmo mudança de trajetos por medo da violência tornou-se uma prática comum dos brasileiros. Cerca de 62,7% admitem seguir o mesmo caminho todos os dias.

Ainda assim, assalto segue sendo o maior medo do brasileiro. 66,2% teme esse tipo de violência, contra 11% que coloca abuso sexual como a maior preocupação e 5%, sequestro.

Como era de imaginar, os brasileiros sentem-se mais inseguros à noite. Sessenta e dois por cento dizem que é o período em que se sentem mais desprotegidos.

Nos últimos doze meses, apenas 12,4% afirmam ter sofrido algum tipo de violência.

Publicidade