Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro revoga nomeação de diretor da PF; Governo não vai recorrer

AGU afirmou que não irá recorrer da decisão de Alexandre de Moraes

Por Mariana Muniz Atualizado em 29 abr 2020, 15h10 - Publicado em 29 abr 2020, 14h25

O presidente Jair Bolsonaro tornou sem efeito a nomeação do delegado Alexandre Ramagem para assumir o cargo de diretor-geral da Polícia Federal.

O ato foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União nesta quarta-feira, horas após decisão do ministro Alexandre de Moraes, do STF, que suspendeu a nomeação de Ramagem. 

A publicação também revoga a exoneração de Ramagem do cargo de diretor-geral da Abin. A posse dele como diretor-geral da PF estava marcada para as 15h. A cerimônia ocorreria junto à do novo ministro da Justiça, André Mendonça.

Em nota, a Advocacia-Geral da União (AGU) informou que não irá recorrer a decisão do STF em razão de decreto que revogou a nomeação.

Na decisão desta quarta-feira, Alexandre de Moraes lembra que Ramagem, como amigo da família Bolsonaro, não dispõe de imparcialidade suficiente para comandar a Polícia Federal sem atrair suspeitas de que favorece o presidente com informações privilegiadas e vazamentos de inquéritos, incluindo os que correm no STF.

“Agente público não só tem que ser honesto e probo, mas tem que mostrar que possui tal qualidade. Como a mulher de César”, afirmou o ministro.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade