Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro quer associar Glauber Rocha à ditadura em discurso na Bahia

Cineasta dá nome a aeroporto que será inaugurado em Vitória da Conquista, sua terra; presidente quer lembrar elogio a Golbery e encontro com Figueiredo

Por Evandro Éboli - Atualizado em 22 jul 2019, 18h38 - Publicado em 22 jul 2019, 18h30

Jair Bolsonaro quer fazer uma provocação à esquerda amanhã na inauguração do aeroporto Glauber Rocha, em Vitória da Conquista (BA). Quer aproveitar a ausência da oposição no evento.

O presidente pretende associar o cineasta ao regime militar por conta de elogios que fez a Golberty do Couto e Silva, um dos mentores do golpe de 64, e um encontro de Glauber com o então presidente João Figueiredo em 1981, na cidade de Sintra, em Portugal.

Numa entrevista em 1974, à revista Visão, Glauber se referiu a Golbery como um gênio: “o mais alto pensar da raça ao lado do professor Darcy (Ribeiro)”.

Sete anos depois veio o encontro com Figueiredo, registrado pelo fotógrafo Orlando Brito, que testemunha:

Continua após a publicidade

“Um encontro absolutamente casual. Glauber ia a Sintra com frequência. Foi muito rápido. Se cumprimentaram e acabou. Sem qualquer sentido de adesão ao governo” – contou Orlando ao Radar.

Glauber Rocha foi um  opositor do regime militar. Relatório da Comissão da Verdade do Rio concluiu que havia até um plano para eliminá-lo.

Publicidade