Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Governo adia por 60 dias o aumento anual de medicamentos

O aumento, se Bolsonaro não interferir, será da ordem de 4%

Por Robson Bonin - Atualizado em 31 mar 2020, 17h40 - Publicado em 31 mar 2020, 17h01

Está na mesa de Jair Bolsonaro uma decisão que interessa a muitos brasileiros. Nesta terça, ele deve decidir se adia o aumento anual no preço dos medicamentos no âmbito do Ministério da Saúde.

A Câmara de Regulação de Mercado de Medicamentos confirmou um reajuste de medicamentos a partir de 1º de abril, para repor inflação e perdas com a variação cambial. O aumento, se Bolsonaro não interferir, será da ordem de 4%.

Há uma disputa entre órgãos do governo. O Planalto quer adiar, mas outras áreas julgam mais apropriado não interferir. Bolsonaro está tentado, por ora, a adiar. A conferir.

ATUALIZAÇÃO, 17h40 — a informação antecipada pelo Radar acaba de ser confirmada pelos ministros do governo em coletiva no Planalto: o aumento dos medicamentos está adiado por 60 dias.

Publicidade