Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro nunca reclamou da investigação do caso Adélio, diz delegado

Chefe da PF em Minas, Cairo Duarte disse ter encontrado Bolsonaro duas vezes para falar de investigações

Por Robson Bonin Atualizado em 20 Maio 2020, 17h13 - Publicado em 20 Maio 2020, 17h05

Superintendente da Polícia Federal em Minas Gerais, o delegado Cairo Duarte prestou depoimento nesta quarta-feira no inquérito que investiga interferências políticas de Jair Bolsonaro na corporação.

Cairo relatou como foi a reunião, organizada pelo então diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, com Bolsonaro em que foram apresentadas informações sobre a investigação do caso Adélio.

Ele disse que o presidente nunca manifestou insatisfação em relação ao aprofundamento da investigação e dos resultados apresentados após o citado encontro.

“Indagado se o depoente, na condição de Superintendente da PF em Minas Gerais, era cobrado em relação ao repasse de informações do ‘caso Adélio’ para a Presidência da República, respondeu que na condição de vítima do
crime ali investigado, o presidente da República, conforme relatado ao depoente pelo Dr. Rodrigo Moraes, tinha advogado constituído nos autos que acompanhava e possivelmente lhe informava do andamento das apurações; que o depoente nunca chegou a ser cobrado quanto ao repasse de informações do ‘caso Adélio’ para a Presidência da República, tampouco para o Ministério da Justiça ou a Direção Geral da PF”, disse o delegado.

Continua após a publicidade
Publicidade