Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro entrega a investigado da Lava-Jato comando de banco público

O PP de Arthur Lira pediu e vai levar a presidência do Banco do Nordeste. É a 'nova política' a todo vapor

Por Robson Bonin Atualizado em 26 abr 2020, 00h17 - Publicado em 25 abr 2020, 16h47

Mergulhado em uma mistura de crise econômica e política, Jair Bolsonaro decidiu fazer novos amigos para tentar continuar com alguma chance de reeleição no pós-pandemia de coronavírus.

Depois de chutar Sergio Moro do governo, Bolsonaro abraçou-se com investigados da Lava-Jato que saquearam os cofres da Petrobras durante os governos do PT. Os mesmos que ele jurou combater se fosse eleito.

Na semana que passa, Bolsonaro prometeu a seu amigo de PP, Arthur Lira, nada menos que a presidência do Banco do Nordeste.

A briga vai ser boa no centrão, afinal, o Planalto havia prometido o mesmo ao PL de outro ilustre integrante da crônica político policial, Valdemar Costa Neto. Eles até já tinham um “quadro técnico” para colocar no comando do banco, um cupincha que atende pela alcunha de “Maranhãozinho”.

É a “nova política” a todo vapor.

Continua após a publicidade
Publicidade