Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro ataca Barroso por CPI: “imprópria militância política”

O presidente criticou o ministro do STF por ter determinado a instalação da CPI da Covid-19 no Senado, na quinta-feira

Por Gustavo Maia Atualizado em 9 abr 2021, 15h50 - Publicado em 9 abr 2021, 10h12

O presidente Jair Bolsonaro acusou o golpe ao comentar, nesta sexta-feira, a decisão tomada na véspera pelo ministro Luís Roberto Barroso, do STF, que determinou a instalação da CPI do Covid-19 no Senado. Pelo Twitter, ele atacou o magistrado com palavras duras e acusações. E ainda aventou a possibilidade de impeachment contra ‘ministro do Supremo”, que teria o apoio de 3 milhões de brasileiros:

“Barroso se omite ao não determinar ao Senado a instalação de processos de impeachment contra ministro do Supremo, mesmo a pedido de mais de 3 milhões de brasileiros. Falta-lhe coragem moral e sobra-lhe imprópria militância política”, escreveu Bolsonaro.

Na postagem, ele publicou um vídeo da interação matinal com os apoiadores na saída do Palácio da Alvorada, no qual manifestou impaciência com os simpatizantes e pediu “atenção, que é importante, pessoal”.

“Sobre a decisão do Barroso de ontem, monocraticamente mandando, determinando que o Senado Federal instale a CPI da Covid contra o presidente Jair Bolsonaro. Exatamente isso. A CPI não é para apurar desvios de recursos de governadores, é para apurar, segundo lá está na ementa do pedido de CPI, omissões do governo federal. Ou seja, uma jogadinha casada, Barroso e bancada de esquerda do Senado, para desgastar o governo”, declarou o presidente.

Bolsonaro disse ainda que “eles’ não querem saber o que aconteceu com “os bilhões desviados por alguns governadores e alguns poucos prefeitos também”.

Continua após a publicidade

Sorrindo, ele lembrou do “detalhe” de que há no Senado processos de impeachment contra ministros do STF. E questionou se Barroso teria “coragem moral” para mandar instalá-lo também.

“Não é disso que o Brasil precisa, vivemos um momento crítico da pandemia, pessoas morrem, e o ministro do Supremo Tribunal Federal faz politicalha junto ao Senado Federal”, defendeu Bolsonaro.

O chefe do Executivo concluiu olhando para a câmera e se dirigindo diretamente ao ministro do STF:

“Barroso, nós conhecemos teu passado, a tua vida, o que você sempre defendeu, como chegou ao Supremo Tribunal Federal, inclusive defendendo o terrorista Cesare Battisti. Então use a sua caneta para boas ações em defesa da vida e do povo brasileiro, e não pra fazer politicalha dentro do Senado Federal. Se tiver moral, se tiver um pingo de moral, ministro Barroso, mande abrir um processo de impeachment contra alguns dos seus companheiros do Supremo Tribunal Federal”.

Bolsonaro e seus asseclas, claro, estavam sem máscaras.

Continua após a publicidade
Publicidade