Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bolsonaro agora é crítico de aglomeração na pandemia; contra ele, claro

Presidente falou a apoiadores que atos contrários são "dignos de pena" e que, ainda sem tomar vacina, acredita que pegou Covid novamente

Por Laísa Dall'Agnol Atualizado em 13 set 2021, 12h23 - Publicado em 13 set 2021, 12h12

Em conversa com apoiadores na manhã desta segunda, Bolsonaro criticou o que chamou de “aglomeração” nas manifestações contra seu governo, no último domingo.

“Vocês viram lá em São Paulo ontem, cinco presidenciáveis aglomerados?”, perguntou o presidente, que muito frequentemente dispensa o uso de máscaras e incentiva eventos com considerável concentração de pessoas.

O ato na Avenida Paulista, organizado pelo MBL, teve a presença de figuras como João Doria (PSDB), governador de São Paulo, Ciro Gomes (PDT), Luiz Henrique Mandetta (DEM), ex-ministro da Saúde, e a senadora Simone Tebet (MDB-MS), apresentada como destaque da CPI da Pandemia.

“A maioria da população é de bem. Essa minoria que é contra, como esses que foram às ruas ontem, são dignos de dó, de pena. O que eles pregam, o que um cara falou em São Paulo da minha esposa, é inacreditável. É sinal que não têm razão, perderam a noção da realidade, e vai pra questões pessoais da família da gente. Não vão me tirar daqui com isso”, afirmou Bolsonaro aos presentes.

Durante a conversa ele chegou a ser questionado por um apoiador. “O senhor anda no meio do povo, abraçando todo mundo sem máscara, como que pode?”, perguntou.

“Eu não tomei vacina e acho que peguei Covid de novo e nem to sabendo, to com 991 [de IgG, que testa a imunidade].”

Continua após a publicidade
Publicidade