Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Biometria facial facilita abertura de empresa sem sair de casa

Iniciativa do Ministério da Economia torna mais fácil ao empreendedor lidar com a burocracia do governo

Por Manoel Schlindwein - Atualizado em 30 mar 2020, 13h39 - Publicado em 30 mar 2020, 11h27

A equipe de Paulo Guedes acaba de desenvolver um sistema que já permitiu a 12 empreendedores do Rio de Janeiro abrir ou realizar operações de empresas sem precisar sair de casa.

Sem gastar mais tempo nem dinheiro com deslocamentos à Junta Comercial, o empreendedor registra sua empresa e realiza outras operações valendo-se de biometria facial e captando imagens de seu próprio celular. Para o cidadão, que precisava gastar até 500 reais com um Certificado Digital e às vezes só utilizá-lo uma única vez no ano inteiro, uma importante diferença é que a biometria facial é gratuita.

O Rio de Janeiro foi o primeiro estado do país a testar a novidade, fruto da parceria entre o Departamento Nacional de Registro Empresarial e Integração (DREI), da Secretaria de Governo Digital do Ministério da Economia, a Junta Comercial do Rio de Janeiro e o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro).

Hoje, o programa piloto será apresentado em reunião por videoconferência do DREI com o Serpro e todas as Juntas Comerciais do país. “A partir dessa experiência carioca e das sugestões de ajustes que possam vir, o próximo passo é implantar o sistema em todo o país”, antecipa o diretor do DREI, André Santa Cruz. “Esta inovação é um incentivo ao ambiente de negócios e mais que oportuna em um momento no qual as pessoas podem ter de evitar se deslocar”.

Publicidade