Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bilhete sobre BTG adiou decisão de Cunha

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pretendia ter anunciado na segunda-feira o acolhimento do pedido de impeachment de Dilma Rousseff –antes, portanto, da confusão sobre se o PT votaria a favor ou contra seu processo de cassação. Questionado sobre o porquê do adiamento, o deputado disse a interlocutores que a razão foi a “palhaçada do bilhete”, numa referência […]

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 23h58 - Publicado em 2 dez 2015, 19h46
Bilhete sobre BTG adiou decisão

Bilhete sobre BTG adiou decisão

Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pretendia ter anunciado na segunda-feira o acolhimento do pedido de impeachment de Dilma Rousseff –antes, portanto, da confusão sobre se o PT votaria a favor ou contra seu processo de cassação.

Questionado sobre o porquê do adiamento, o deputado disse a interlocutores que a razão foi a “palhaçada do bilhete”, numa referência ao texto encontrado com o assessor do senador Delcídio do Amaral, Diogo Ferreira, que faz uma ligação entre ele e o banqueiro André Esteves.

O bilhete, escrito à mão no verso de um dos documentos apreendidos dizia que em troca de uma emenda à Medida Provisória nº 608, o BTG Pactual teria pago a Cunha 45 milhões de reais.

Continua após a publicidade
Publicidade