Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bens leiloados

Os leilões de bens apreendidos de traficantes de drogas, realizados desde janeiro de 2011, já renderam à União cerca de 2,3 milhões de reais. Segundo os dados do Ministério da Justiça, nesse período, foram vendidos 553 veículos, seis aviões, sete imóveis, além de uma infinidade de outros bens, em leilões realizados no Paraná, em São […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 07h42 - Publicado em 4 out 2012, 14h21

2,3 milhões de reais arrecadados

Os leilões de bens apreendidos de traficantes de drogas, realizados desde janeiro de 2011, já renderam à União cerca de 2,3 milhões de reais.

Segundo os dados do Ministério da Justiça, nesse período, foram vendidos 553 veículos, seis aviões, sete imóveis, além de uma infinidade de outros bens, em leilões realizados no Paraná, em São Paulo, no Mato Grosso do Sul, no Rio Grande do Sul e no Distrito Federal.

Esse dinheiro arrecadado é investido em programas de enfrentamento e de repressão ao tráfico de drogas e para prevenção, tratamento, recuperação e reinserção social de dependentes químicos.

Até o final do ano serão promovidos outros cinco leilões em Minas Gerais, no Mato Grosso do Sul, em São Paulo, no Rio Grande do Norte e no Mato Grosso.

A arrecadação não é maior porque os bens acabam sucateados por causa da ação do tempo durante os longos processos judiciais até a liberação para leilão. Aviões e automóveis, por exemplo, são leiloados para aproveitamento de peças e sucata.

Continua após a publicidade

Publicidade