Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Barroso rebate ataque de Bolsonaro a eleições e urnas eletrônicas

Bolsonaro chamou o presidente do TSE de "idiota" e "imbecil" por se posicionar contra o voto impresso

Por Laísa Dall'Agnol 9 jul 2021, 17h44

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Roberto Barroso, divulgou nota rebatendo as acusações de Bolsonaro sobre urnas eletrônicas e uma suposta insegurança no processo eleitoral.

Mais cedo, em conversa com apoiadores, Bolsonaro voltou a afirmar que o voto eletrônico é passível de fraudes e que, por isso, deveria ser implantado o voto impresso. Ele ainda chamou Barroso de “idiota” e “imbecil”.

O presidente também tem dito que as eleições de 2022 “podem não acontecer” caso, em sua visão, não sejam “limpas”.

“Como já disse antes, eu não paro para bater boca. Cumpro o meu papel pelo bem do Brasil. Mas eleição vai haver, eu garanto”, declarou Barroso.

A nota do TSE afirma que, desde a implantação das urnas eletrônicas em 1996, jamais se documentou qualquer episódio de fraude e que, mesmo quanto o PSDB questionou o resultado das eleições de 2014, o partido realizou auditoria no sistema de votação e reconheceu a legitimidade dos resultados.

O documento lembra, ainda, que o Corregedor-Geral Eleitoral já oficiou Bolsonaro para que apresente as supostas provas de fraude que teriam ocorrido nas eleições de 2018 e que não houve resposta.

Por fim, o TSE diz que a realização de eleições é pressuposto do regime democrático e que qualquer atuação no sentido de impedir a sua ocorrência viola princípios constitucionais e configura crime de responsabilidade.

Continua após a publicidade
Publicidade