Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Por Gabriel Mascarenhas (interino) Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Bancada evangélica rejeita ser comparada a Flordelis

Em nota, Frente Parlamentar Evangélica diz que comunidade não pode ser generalizada a partir do caso da deputada

Por Mariana Muniz Atualizado em 3 set 2020, 10h13 - Publicado em 3 set 2020, 10h05

Com a repercussão das investigações sobre o assassinato do marido da deputada Flordelis, a bancada evangélica da Câmara dos Deputados resolveu sair em defesa…dos evangélicos.

Em nota divulgada nesta quinta-feira, a Frente Parlamentar Evangélica rechaçou o que chamou de “comportamento anticristão, antiético, reprovável e repugnante daqueles que tentam nivelar o segmento evangélico do Brasil pelo ocorrido com a deputada federal Flordelis”.

O grupo presta solidariedade às famílias “do povo evangélico do Brasil e do genuíno evangelho do Senhor Jesus Cristo” que, segundo os deputados, nada têm “a ver com práticas tão deploráveis e repugnantes como as que parecem ter sido protagonizadas pela deputada”.

ASSINE VEJA

A esperança dos novatos na bolsa Leia nesta edição: a multidão de calouros no mercado de ações, a ‘lista negra’ de Bolsonaro e as fraudes na pandemia
Clique e Assine

A Frente afirma que não pretende “fazer pré-julgamento, pelo contrário, muito nos alegrará se ao final do processo, restar-se comprovada a inocência da deputada”. Mas admite que até o momento, “nenhum fato favorável a deputada foi apurado, muito pelo contrário”.

“Não é natural nem aceitável que alguém que se intitule Cristão possa cometer ato tão absurdo, como envolver-se em um assassinato brutal que chocou o Brasil”, apontam os deputados, que dizem estar “orando” pela colega.

Continua após a publicidade
Publicidade