Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Assembleia do Rio vota impeachment de Witzel nesta quarta-feira

Expectativa é de que o governador do Rio compareça presencialmente ao plenário, onde poderá falar por uma hora

Por Mariana Muniz Atualizado em 23 set 2020, 07h47 - Publicado em 23 set 2020, 06h33

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) vota nesta quarta-feira o projeto que autoriza o prosseguimento do processo de impeachment de Wilson Witzel. A sessão, semipresencial, será comandada pelo presidente da Casa, o deputado André Ceciliano.

Após a abertura da sessão, cada um dos 25 partidos terá até uma hora para debater o tema. Ao fim das discussões, o governador e a defesa poderão falar por até uma hora. Em seguida, inicia-se a votação aberta, conforme determina o STF. A expectativa, segundo fontes ouvidas pelo Radar, é de que Witzel compareça ao plenário da Alerj.

  • Caso dois terços dos parlamentares — o equivalente a 47 deputados — votem favoráveis ao impeachment, a denúncia será encaminhada ao Tribunal de Justiça do Estado do Rio (TJRJ), que formará um tribunal misto de julgamento, composto por cinco deputados e cinco desembargadores,  e definirá os ritos finais do processo.

    A contar pelo placar acachapante a favor do relatório do deputado Rodrigo Bacellar na semana passada, com votos inclusive de integrantes do partido de Witzel, o PSC, não é difícil imaginar que o dia será inglório para o ex-juiz que surpreendeu nas urnas em 2018.

    Caso seja recebida a denúncia, Witzel será afastado por 180 dias após a denúncia ser recebida pelo tribunal misto de julgamento. O governador, contudo, já está afastado do cargo por decisão do Superior Tribunal de Justiça.

    Continua após a publicidade
    Publicidade