Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

As razões de Lewandowski para negar a delação de Renato Pereira

Acordo comprometeria Eduardo Paes

Por Thiago Prado Atualizado em 14 nov 2017, 18h49 - Publicado em 14 nov 2017, 18h07

O ministro do STF Ricardo Lewandowski recusou a delação premiada do marqueteiro Renato Pereira.

Lewandowski alegou que a PGR não poderia ter negociado por conta própria a pena a ser cumprida por Pereira e nem a multa que ele pagaria, de R$ 1,5 milhão. O valor foi considerado extremamente baixo.

Desde o início da operação Lava-Jato, todos os acordos de delação haviam sido feitos desta forma.

O acordo comprometia políticos como o governador Luiz Fernando Pezão, o ex- prefeito do Rio Eduardo Paes e o presidente da FIESP, Paulo Skaf.

“Não é lícito às partes contratantes fixar, em substituição ao poder judiciário e de forma antecipada, a pena privativa de liberdade e o perdão de crimes ao colaborador”, escreveu o ministro do STF.

  •  

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade