Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

As ideias do relator para o novo marco regulatório dos jogos de azar

Segundo aliados, o deputado Felipe Carreras (PSB-PE) avalia dividir o texto em três grandes frentes

Por Robson Bonin 22 out 2021, 12h01

Relator do marco dos jogos de azar na Câmara, o deputado Felipe Carreras (PSB-PE) avalia dividir o texto em três grandes frentes, segundo apurou o Radar.

A primeira seria na regulamentação das concessões federais para a criação de cassinos de resorts no país. Os famosos hoteis de luxo que abrigam todas as modalidades de lazer e jogos em um só lugar.

A aliados, Carreras tem dito que essas estruturas são grandes vetores do turismo internacional e podem praticamente dobrar o público estrangeiro no país.

A segunda parte do texto em estudo trata da tributação das apostas on-line, um mercado bilionário que hoje drena recursos do país para plataformas que operam em países onde o jogo foi regulamentado.

Carreras também pretende olhar com carinho as questões relacionadas aos jockeys. São onze no país. A ideia é que essas estruturas sejam ampliadas com novas modalidades de jogos.

Ciente da resistência de alguns setores do Parlamento ao texto, o relator pretende levar para a discussão, segundo aliados, uma proposta que contemple a adoção de políticas públicas para combater a corrupção e estimular o turismo e a cultura nos estados. Para isso, seriam criados fundos de investimento bancados pelos recursos da regulamentação dos jogos.

O texto de Carreras também deve prever que apenas o governo federal atuará na concessão de casas de jogos pelo país. Uma agência reguladora dos jogos também deve ser criada para garantir que as coisas sigam dentro da lei.

Continua após a publicidade

Publicidade