Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

As apostas dos consumidores nas novas tecnologias para o futuro

São Paulo é uma das 15 cidades no mundo escolhida pela Ericsson para estudo sobre tendências de consumo para a próxima década

Por Manoel Schlindwein Atualizado em 18 mar 2021, 21h54 - Publicado em 15 dez 2020, 17h32

Inteligência artificial e conectividade são palavras de ordem quando o assunto é o que esperar da tecnologia para os próximos dez anos, aponta uma pesquisa divulgada hoje pela sueca Ericsson. A pesquisa ouviu 15.000 pessoas de 15 cidades ao redor do mundo e, no Brasil, São Paulo foi a escolhida.

Para 91% dos ouvidos no estudo Hot Consumer Trends 2030 em São Paulo, os smartphones serão capazes de alertar sobre temporais ou rajadas de calor, compartilhando dados com dispositivos pessoais de outras pessoas. Já 86% apostam num serviço de vigilância eletrônica que proteja suas casas e que possa alertar outros sistemas da vizinhança, a fim de coibir invasores. Além disso, 87% acreditam em sistemas automatizados de gestão financeira que consigam explicar como seus investimentos são administrados. Para outros 87%, na próxima década será possível ter pontos de acesso doméstico que conectarão automaticamente seus dispositivos a fibra, cabo, Wi-fi, sem que seja necessário realizar qualquer configuração.

E para 80% dos paulistanos ouvidos, até 2030, teremos medidores de eletricidade inteligente que calcularão a eletricidade usada para realização do home office. Chama a atenção ainda a menção de 51% dos entrevistados sobre a expectativa de terem em seu corpo nanobots que vivem em sua corrente sanguínea e aprendem como combater o câncer e lutar contra novos vírus trocando dados com bots de outras pessoas.

  • Leia também: Novas tecnologias conferem a médicos, seguranças e soldados visão especial
Publicidade