Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Arroubo de Bolsonaro piora situação de Mendonça, dizem senadores

Presidente da CCJ do Senado, Davi Alcolumbre não tem pressa em marcar a sabatina do "terrivelmente evangélico"

Por Gustavo Maia Atualizado em 8 set 2021, 18h57 - Publicado em 9 set 2021, 09h30

Segundo senadores contrários à ida de André Mendonça para STF, as falas do presidente Jair Bolsonaro nos atos de 7 de setembro ajudaram a piorar a situação do seu indicado no Senado. Entre os opositores do “terrivelmente evangélico”, já se especula que haja pelo menos 50 votos contrários ao ex-AGU.

O clima já não era o mais confortável diante da resistência do presidente da CCJ, Davi Alcolumbre, para agendar a sua sabatina. Mas, de acordo com parlamentares ouvidos pelo Radar, azedou ainda mais por conta da promessa de Bolsonaro de se recusar a cumprir decisões judiciais. E ficou ainda pior depois do pronunciamento do presidente do STF, Luiz Fux, sobre os crimes de responsabilidade do chefe do Executivo.

Sentado em cima da indicação de Mendonça há algumas semanas, Alcolumbre vinha dizendo a interlocutores que aguardaria os acontecimentos do 7 de setembro para decidir sobre a sabatina na CCJ. O comportamento de Bolsonaro não ajudou em nada seu escolhido.

Publicidade