Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Aras e o destino da força-tarefa da Lava-Jato no Paraná

Chefe da PGR tem deixado muito claro a interlocutores seu pensamento sobre o trabalho da equipe de Deltan

Por Robson Bonin Atualizado em 28 ago 2020, 10h08 - Publicado em 28 ago 2020, 06h05

Quem conversa com o chefe da Procuradoria-Geral da República, Augusto Aras, sobre a continuidade da República de Curitiba, diz que ele ainda não se convenceu a renovar os trabalhos da equipe de Deltan Dallagnol na força-tarefa da Lava-Jato no Paraná. “Nem tudo que começa bem termina bem. É preciso fechar esse ciclo”, diz Aras a interlocutores.

O prazo de funcionamento da força-tarefa termina no dia 10 de setembro. Por isso, a equipe pediu que o grupo de trabalho que fez história no país, ao desmontar o maior esquema de corrupção já visto na máquina pública, seja prorrogado por mais um ano.

ASSINE VEJA

A esperança dos novatos na bolsa Leia nesta edição: a multidão de calouros no mercado de ações, a ‘lista negra’ de Bolsonaro e as fraudes na pandemia
Clique e Assine
Publicidade