Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Pedro Carvalho. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Aposentadoria de Celso de Mello entra no jogo pró-segunda instância

Lava-Jato aposta que saída do decano abrirá caminho para novo placar em uma futura reanálise do tema

Por Robson Bonin - Atualizado em 8 nov 2019, 12h17 - Publicado em 8 nov 2019, 12h16

O Supremo Tribunal Federal sepultou a prisão em segunda instância. O cadáver nem esfriou e já tem gente planejando a exumação.

Entre integrantes da Lava-Jato, a leitura é a seguinte: o decano Celso de Mello vai pendurar a toga em novembro do ano que vem. Com isso, a turma aposta que Jair Bolsonaro terá disposição para escolher um ministro que vote a favor da prisão em segunda instância. Aí é só julgar de novo e… pronto.

A mudança no colegiado não deveria fazer a Corte Suprema mudar jurisprudência como quem troca de roupa, mas isso já ocorreu nos governos petistas e sempre poderá acontecer de novo.

Publicidade