Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após ser afastado, secretário de Educação do Rio é exonerado

Demissão, assinada por Claudio Castro, foi publicada em edição extra do Diário Oficial do Rio

Por Mariana Muniz - Atualizado em 16 set 2020, 14h56 - Publicado em 16 set 2020, 14h47

Não durou nem um dia o afastamento do secretário estadual de Educação do Rio — uma edição extra do Diário Oficial, publicada na tarde desta quarta-feira, traz a exoneração Pedro Fernandes do cargo. Ele está cumprindo prisão domiciliar após ser alvo de uma operação do Ministério Público na última sexta-feira.

ASSINE VEJA

Covid-19 no Brasil: o pior já passou Leia nesta edição: Queda na curva de mortes mostra sinais de alívio na pandemia. E mais: por que o futuro político de Lula está nas mãos de Bolsonaro
Clique e Assine

Oficialmente, a explicação para a exoneração apenas horas depois do afastamento está em um parecer da Procuradoria-Geral do Estado contrário à permanência de Fernandes no cargo, ainda que afastado. A consulta teria sido feita pelo próprio governo, mas a resposta não havia chegado a tempo da publicação desta manhã.

Mas interlocutores do governo afirmam que o rápido movimento também se deu em razão da péssima repercussão do afastamento, contrariando a expectativa de que uma medida mais dura fosse tomada contra o secretário investigado.

Com a exoneração, quem permanece à frente da Educação fluminense é a substituta da pasta, Cláudia Lasry. As conversas para encontrar um novo titular, contudo, seguem a todo vapor.

Continua após a publicidade
Publicidade