Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Após confusão, oposição vai levar Previdência dos militares ao plenário

Representantes e familiares de praças e soldados protestaram contra texto aprovado

Por Evandro Éboli - 29 Oct 2019, 19h45

Após a confusão na comissão especial, a oposição conseguiu assinaturas suficientes para levar ao plenário a votação do projeto da reforma da previdência dos militares. E obteve apoio de parlamentares até de outros partidos, como o Novo.

Deputados do PSOL eram aplaudidos e festejados por familiares de praças e soldados, que reivindicavam melhorias no texto. Mas, depois, durante a votação da proposta, as emendas desses deputados foram derrotadas pela base do governo.

Começaram protestos desses familiares que gritavam nunca mais votar e apoiar Bolsonaro.

O troco da oposição veio na sequência. Com o apoio de mais de 51 assinaturas, número mínimo,  os opositores conseguiram  levar o texto para ser votado no plenário, ainda sem data marcada.  Havia um acordo dos militares e governistas com o PT para que o texto fosse terminativo na comissão, mas muitos petistas recuaram.

Continua após a publicidade

 

Publicidade