Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Anvisa vai investigar reação adversa à vacina da Pfizer em adolescente

Agência, contudo, manteve recomendação de aplicação em jovens entre 12 e 15 anos; orientação é diferente da do Ministério da Saúde

Por Lucas Vettorazzo Atualizado em 16 set 2021, 18h59 - Publicado em 16 set 2021, 18h47

A Anvisa divulgou há pouco que irá investigar suspeitas de reações adversas graves da vacina da Pfizer em adolescentes. 

A agência disse que foi informada de um caso de um jovem de 16 anos de idade que teria morrido depois de ter tomado a vacina no início do mês. 

O órgão sanitário reiterou que no momento não há “relação causal definida entre este caso e a administração da vacina”. “Os dados recebidos ainda são preliminares e necessitam de aprofundamento para confirmar ou descartar a relação causal com a vacina”, diz a agência.

Os termos da aprovação para o uso do imunizante da farmacêutica americana estão mantidos. Segundo a agência, “com os dados disponíveis até o momento, não existem evidências que subsidiem ou demandem alterações nas condições aprovadas para a vacina”. A Anvisa aprovou em junho a aplicação de vacinas da Pfizer para adolescentes entre 12 e 15 anos. 

A decisão da Anvisa ocorre depois de o Ministério da Saúde voltar atrás na recomendação da vacinação de adolescentes com doses da Pfizer em razão de “possível evento adverso grave”. 

O ministro Marcelo Queiroga reiterou a recomendação nesta quarta e criticou a antecipação da imunização de menores de 18 anos por estados e municípios ao dizer que ela atrapalha o cronograma do PNI. 

Continua após a publicidade
Publicidade