Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Alvo de Haddad, Ciro reage: ‘puxa-sacos eu entendo, só não os respeito’

'Haddad aceitou ser poste. Eu jamais aceitaria', disse presidenciável do PDT sobre fala de petista em relação a 2018

Por Robson Bonin Atualizado em 24 ago 2021, 15h27 - Publicado em 24 ago 2021, 15h26

O presidenciável pedetista não gostou de ser citado por Fernando Haddad durante entrevista do petista ao programa Conversa com Bial. No programa, Haddad falou da tentativa de aliança entre Lula e Ciro em 2018.

“A oferta real foi que o Ciro deveria ser vice do Lula, que não queria abrir mão da candidatura antes das Nações Unidas se manifestarem sobre a situação dele. Em caso do impedimento do Lula, o Ciro assumiria a cabeça de chapa, e eu entraria para compor como vice, como candidato a vice”, disse Haddad.

“A proposta era ‘seja vice do Lula até que haja uma manifestação definitiva da Justiça brasileira. Em caso negativo, se o Lula não puder, você vai nos representar’, e essa proposta não foi sequer considerada. Eu não ia deixar o Lula naquelas circunstâncias sozinho”, seguiu o petista. “Se o Ciro quer me ofender no teu programa por causa disso, problema é dele, eu não vou me rebaixar ao nível dele para retrucar o que ele está falando ao meu respeito. Eu não ia deixar o Lula na mão, ponto”, disse Haddad.

Ciro Gomes não gostou do que ouviu e revidou há pouco nas redes. “Aos puxa-sacos eu entendo, só não os respeito. Tudo que Haddad tem na vida política deve a Lula. Já eu, a ele não devo nada. Por isso sou livre para criticá-lo. Haddad, não! Tem que ser seu bajulador eterno, sempre da turma do amém. Haddad aceitou ser poste. Eu jamais aceitaria. Sua subserviência, incompetência e falta de amor ao país, deu a presidência do Brasil ao Bolsonaro”, diz Ciro.

Enquanto eu peço para debater os problemas do Brasil, eles seguem evitando. Não têm projeto, apenas paixão doentia pelo poder. Para obtê-lo pagam qualquer preço. São capazes de vender a própria honra e a honra do país”, segue o pedetista.

Continua após a publicidade
Publicidade