Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Alvo da Lava-Jato do Rio, empresário aponta falhas em investigação

Defesa de Mário Peixoto diz que trechos de escuta da PF deixaram de ser levados ao MPF

Por Mariana Muniz - Atualizado em 3 Jun 2020, 11h40 - Publicado em 2 Jun 2020, 13h37

Preso desde o dia o último dia 14 de maio, o empresário Mário Peixoto – acusado de integrar um esquema ativo há dez anos de desvios em contratos de terceirização de serviços para o governo do Rio – resolveu explorar o que considera serem falhas no processo de investigação contra ele.

A defesa de Peixoto afirma que trechos de uma conversa interceptada pela Polícia Federal foram omitidos da representação encaminhada ao MPF. A ausência de parte do diálogo, dizem os advogados, teria feito com que o leitor fosse induzido a uma conclusão errada. O leitor, no caso, sendo o juiz Marcelo Bretas.

O empresário é alvo da Operação Favorito, braço da Lava Jato do Rio que apura fraudes em contratos sem licitação para a pandemia do coronavírus na gestão de Wilson Witzel.

Publicidade