Clique e assine a partir de 9,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Alexandre de Moraes prorroga prisão de blogueiro bolsonarista

Segundo PGR, há indícios do envolvimento de Oswaldo Eustáquio 'em fatos que guardam relação com ações de potencial lesivo considerável'

Por Mariana Muniz - Atualizado em 30 Jun 2020, 11h19 - Publicado em 30 Jun 2020, 11h10

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), autorizou a prorrogação da prisão temporária do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio por até mais cinco dias. Ele é alvo do inquérito das fake news. 

A extensão da prisão atende a pedido feito pela Procuradoria-Geral da República, que justifica a medida, entre outros motivos, pela falta de endereço físico do investigado. Segundo a PGR, há indícios do envolvimento do blogueiro “em fatos que estão sob apuração e que guardam relação com ações de potencial lesivo considerável”.

É que, de acordo com os investigadores, “as manifestações promovidas por Oswaldo Eustáquio, tanto em mídias sociais, quanto fisicamente, em movimentos de rua, têm instigado uma parcela da população que, com afinidade
ideológica, tem sido utilizada para impulsionar o extremismo do discurso de polarização e antagonismo, por meios ilegais, a Poderes da República (Supremo Tribunal Federal e Congresso Nacional)”.

No pedido de renovação da prisão temporária, a PGR argumenta que a falta de residência fixa do representado também pode comprometer as investigações”. Segundo os investigadores, Oswaldo teria conseguido fugir da casa em que morava em Brasília para a cidade de Ponta Porã, na fronteira com o Paraguai, “circunstância que, por si só, indica sua propensão em eludir a aplicação da lei penal”.

“Diante do quadro fático exposto, entendo, portanto, a pertinência da medida, imprescindível para que a autoridade policial avance na análise do material apreendido e na elucidação das infrações penais atribuídas à associação criminosa em toda a sua extensão; bem como analise se há nas informações contidas nos bens e documentos recolhidos elementos que  possam ensejar a realização de novas atividades investigativas”, disse o ministro do STF.

Moraes também autorizou que o blogueiro seja colocado em uma cela destinada a presos que “podem sofrer represálias” ou que seja detido na carceragem da Superintendência Regional do Departamento de Polícia Federal no
Distrito Federal.

Publicidade