Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Alcolumbre esteve com a cúpula da República nos últimos dias

Com positivo do chefe do Congresso, não há mais em Brasília autoridades que estejam totalmente livres do contato com algum infectado

Por Robson Bonin 19 mar 2020, 06h03

O presidente do STF, Dias Toffoli, seu vice, Luiz Fux, a presidente do TSE, Rosa Weber, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, o chefe do BC, Roberto Campos Neto, o ministro da Economia, Paulo Guedes… A lista de autoridades que estiveram com Davi Alcolumbre nos últimos dias é longa e demonstra que o vírus tornou-se uma ameaça real também no topo da República.

Apenas nesta quarta, os ministros Augusto Heleno e Bento Albuquerque confirmaram a infecção pelo vírus. Antes dos dois, 15 integrantes da comitiva de Jair Bolsonaro já haviam pegado a doença. Diplomatas do Itamaraty, um senador, dois deputados, a lista de infectados escalou a pirâmide do poder até chegar ao chefe do Congresso.

Na última segunda, Alcolumbre esteve no Supremo para participar da reunião dos líderes dos poderes sem Bolsonaro. Por causa dessa conversa, Toffoli anunciou ontem que ficará em quarentena. Antes disso, no dia 11, uma longa reunião entrou a noite com o time do Planalto e dezenas de parlamentares confinados no plenário da CCJ da Câmara.

Além dos nomes citados acima, o ministro Jorge Oliveira, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e o chefe da Articulação Política do governo, Luiz Eduardo Ramos, estavam na conversa. A maioria das autoridades aqui citadas vai seguir vida normal. Só fará o teste ou se recolherá se apresentar os sintomas. Que perigo.

Continua após a publicidade

Publicidade