Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Concessionárias querem cobrar imposto que inviabiliza exposições no Brasil

Cobrança estratosférica

As concessionárias de Guarulhos e do Galeão mudaram a metodologia sobre a cobrança de impostos para armazenar de obras de arte em seus aeroportos.

Esse novo entendimento encarece de tal forma o transporte das obras que inviabilizará a vinda de exposições estrangeiras.

Pela nova regra, a mordida chegará a 4,5% sobre o valor da obra.

O Ministério da Cultura já entrou com uma ação na Anac contra a mudança, e a SP Arte tenta bloquear a medida na justiça.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Qual seria o valor de uma obra, como uma Mona Lisa, se esta fosse exposta no Brasil? O que seriam 4,5% de algo inestimável? Aliás, qual seria critério do valor a ser cobrado de qualquer obra? Através de um app? Através de uma avaliação de um técnico? De um renomado artista? Através de uma pesquisa rápida no Google? E aí?

    Curtir