Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Advogados da AGU já receberam R$ 286 milhões em honorários

Benefício é criticado

Os advogados que trabalham na Advocacia Geral da União (AGU) devem receber uma remuneração extra de R$ 6 mil este mês. O dinheiro é relativo a honorários ganhos nas causas em que a União faz parte.

Este ano, já foram arrecadados R$ 286 milhões em honorários advocatícios, que foram rateados entre os 8 mil advogados da União, que têm salário médio de R$ 20 mil.

O benefício recebe críticas de outras categorias de servidores federais, que questionam a legitimidade do recebimento de honorários e alegam que nos casos em que a União perde os advogados públicos mantém seus salários integrais.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Colocado dessa forma parece uma fortuna, mas individualmente chega cerca de quatro mil p/m. A legitimidade está na Lei em especial o CPC. Mesmo sem querer, a instituição dos honorários no CPC constitui formidável medida de gestão que deveria ser replicada com devidas adaptações para todas as carreiras. Trata-se de um prêmio por resultados a ser rateado. Como resultado desapareceu a pressão por novas contratações e inchaço no quadro? Fala-se em compatibilizar os benefícios das carreiras públicas com a iniciativa privada, com o que concordo. Mas só nos pontos negativos?

    Curtir

  2. Honorários pertencem a advogados, nos termos do Estatuto da OAB, e nunca aos litigantes. É da natureza da verba. Somem-se a isso as disposições do CPC e de leis específicas que asseguram a reversão dos honorários aos advogados públicos, o que ocorre também nos Estados e Municípios. No âmbito da AGU, os honorários rateados em nenhum mês permitiram aos seus beneficiários ultrapassar salários e benefícios auferidos por outras Funções Essenciais à Justiça, valendo também lembrar que tais honorários NÃO ONERAM OS COFRES PÚBLICOS. Ao contrário: sobre eles incide Imposto de Renda, ou seja, a União ainda arrecada sobre tais verbas. O inconformismo de algumas carreiras, portanto, não se justifica minimamente.

    Curtir

  3. A afirmação é tão boçal quanto dizer:
    – Sempre que uma parte ganha, ela também perde.
    Como se a titularidade dos honorários fosse da parte, pública ou privada…
    Erro de premissa e “esquecimento” das situações consolidadas das PGEs e PGMs.

    Curtir

  4. E desde quando o advogado tem que arcar com a derrota da parte? Honorários são direito do advogado. Forma de estímulo e meritocracia.
    Engraçado que no auxílio moradia a mídia não bate!

    Curtir