Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Acordos de leniência empacam em meio a impasse com TCU

Pelo menos três acordos de leniência de empresas investigadas pelo petrolão já fechados pela Controladoria-Geral da União empacaram. Empresários e advogados dizem que os processos foram retidos na Advocacia-Geral da União (AGU), à espera de solução para o impasse com o Tribunal de Contas da União sobre as novas regras. De saída do governo, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, tem como […]

Por Da Redação - Atualizado em 30 jul 2020, 23h34 - Publicado em 5 fev 2016, 07h15
CGU: Em banho-maria

CGU: Em banho-maria

Pelo menos três acordos de leniência de empresas investigadas pelo petrolão já fechados pela Controladoria-Geral da União empacaram.

Empresários e advogados dizem que os processos foram retidos na Advocacia-Geral da União (AGU), à espera de solução para o impasse com o Tribunal de Contas da União sobre as novas regras.

De saída do governo, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, tem como uma das  últimas missões “entregar” as leniências.

Mas também precisa se dedicar à diplomacia com o TCU, que considera que a mudança feita pelo governo na lei anticorrupção reduziu seu poder.

A necessidade de contentar o tribunal se deve a outro abacaxi da era Dilma: a iminência do julgamento final das pedaladas fiscais, que deve confirmar as irregularidades e pode levar à inabilitação de várias autoridades.

Continua após a publicidade
Publicidade