Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

Abuso de Autoridade faz MP suspender apuração contra amiga íntima de Lula

Rosemary Noronha é alvo de investigação sobre vantagens indevidas recebidas durante os anos de gestão petista em cooperativa de bancários, a Bancoop

Por Robson Bonin Atualizado em 30 ago 2019, 09h45 - Publicado em 30 ago 2019, 09h18

O promotor do Ministério Público de São Paulo Cássio Conserino decidiu suspender por seis meses, até que as incertezas jurídicas da Lei de Abuso de Autoridade, aprovada pelo Congresso — e em análise de veto por Jair Bolsonaro —, sejam resolvidas em Brasília.

“Entende-se que por cautela e para evitar dissabores necessário se mostra a suspensão da investigação até que a normalidade jurídica seja restabelecida, com o veto integral, parcial ou
reconhecimento de sua inconstitucionalidade”, escreve o promotor.

Rosemary é alvo de apuração pelo suposto recebimento de vantagens na compra de um duplex da Bancoop, cooperativa de bancários controlada por petistas, que deu um golpe em milhares de servidores que compraram e não receberam seus apartamentos.

“Conseguiram a proeza de criminalizar a atividade ministerial e a falácia de que os tais crimes exigem dolo especial para a sua consubstanciação não vingam, uma vez que ninguém em sã consciência por exercer seu mister pode ficar com uma espada de Dâmocles sobre a cabeça e a mercê de interpretações de toda sorte, especialmente porque a nossa atividade é de meio e não de fim”, argumenta o promotor.

Continua após a publicidade
Publicidade