Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A guerra de Lira com a Petrobras está só no começo

Chefe da Câmara está de olho na gigantesca insatisfação do país com a alta de preços dos combustíveis e do gás de cozinha

Por Robson Bonin Atualizado em 17 set 2021, 11h51 - Publicado em 19 set 2021, 16h14

A guerra de Arthur Lira com a Petrobras está só no começo — e vai piorar bastante nas próximas semanas. O chefe da Câmara, de olho na gigantesca insatisfação do país com a alta de preços — gasolina a 7 reais, gás de cozinha a 135 reais –, decidiu adotar o tema como uma prioridade do Legislativo.

Em ano pré-eleitoral, não é preciso dizer que os colegas de Parlamento abraçaram com força a discussão. Na Câmara, muitos parlamentares concordam com o que disse o chefe do Banco Central, Roberto Campos Neto, sobre a Petrobras repassar rápido demais os reajustes puxados pelo dólar.

A discussão encabeçada por Lira, que flerta com a interferência política na estatal, deve exigir mais viagens a Brasília do chefe da estatal, Joaquim Luna. Enquanto o governo de Jair Bolsonaro nada faz nessa área, governadores começam a reduzir impostos e a estabelecer benefícios como o vale gás de João Doria.

Essa diferença de atuação gera comparações no eleitorado que tornam os aliados de Bolsonaro menos populares nas bases.

Continua após a publicidade
Publicidade