Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Evandro Éboli, Mariana Muniz e Manoel Schlindwein. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A estratégia de Covas no segundo turno: armas guardadas

Ordem é comparar currículos

Por Gabriel Mascarenhas Atualizado em 25 nov 2020, 08h21 - Publicado em 25 nov 2020, 06h04

Bruno Covas deve manter o tom do primeiro turno e evitar a pancadaria contra Guilherme Boulos, em franca ascensão nas pesquisas.

A entrada do PT no palanque do candidato do PSOL não foi o suficiente para estimular o tucano a partir para o confronto e levar à mesa o tema corrupção, por exemplo – até porque sobram correligionários de Covas que protagonizaram recentes escândalos nacionais.

Covas vai comparar currículos, na tentativa de explorar a inexperiência do adversário como gestor. Também tentará convencer o paulistano de que boa parte do programa de governo de Boulos não para em pé, como a proposta de ônibus gratuito.

Se será suficiente para estancar o crescimento de Boulos, são outros quinhentos.

Continua após a publicidade
Publicidade