Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A briga continua

A quebra de imagens de santos pelos integrantes da Marcha das Vadias durante a Jornada Mundial da Juventude continua gerando polêmica. Revoltada, a Arquidiocese do Rio quer que o coordenador de Diversidade Sexual da prefeitura, Carlos Tufvesson, divulgue uma nota condenando a Marcha. Tufvesson ainda não respondeu. A propósito, Flavio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 05h39 - Publicado em 8 ago 2013, 09h17

Marcha das Vadias no Rio

A quebra de imagens de santos pelos integrantes da Marcha das Vadias durante a Jornada Mundial da Juventude continua gerando polêmica.

Revoltada, a Arquidiocese do Rio quer que o coordenador de Diversidade Sexual da prefeitura, Carlos Tufvesson, divulgue uma nota condenando a Marcha. Tufvesson ainda não respondeu.

A propósito, Flavio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, acaba de entrar com uma representação contra a Marcha no Ministério Público.

(Atualização às 21h07: Tufvesson entrou em contato e informou que não pode dar nenhuma nota oficial em nome da Marcha das Vadias, porque ela sequer tem representação dentro do movimento LGBT no Brasil. Apesar de ser solidário a todos os segmentos minoritários, inclusive à Marcha – que luta pelo direito das mulheres – Tufvesson, pessoalmente, condena o desrespeito, tendo inclusive se manifestado publicamente nas redes sociais no próprio dia da Marcha das Vadias, no Rio de Janeiro.)

Continua após a publicidade

Publicidade