Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia, Laísa Dall'Agnol e Lucas Vettorazzo. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

A 3 dias do prazo, Lira joga batata quente do Orçamento no colo do governo

O presidente da Câmara disse que proposta foi aprovada com acordo que incluiu o governo, a quem caberia "propor soluções que atendam às demandas acordadas"

Por Gustavo Maia 19 abr 2021, 11h06

O presidente da Câmara, Arthur Lira, acaba de mandar um recado público e demonstrar sua irritação com a novela da sanção do Orçamento de 2021. Pelo Twitter, ele lembrou que a proposta só foi aprovada com atraso, após a sua eleição e a de Rodrigo Pacheco para o Senado, por conta das “dificuldades criadas pela gestão do meu antecessor e os seus compromissos políticos”. Se o primeiro petardo mirou Rodrigo Maia, o segundo teve como endereço o Palácio do Planalto:

“Agora depois de aprovado com amplo acordo que incluiu o governo, as críticas são injustas e oportunistas, cabendo ao governo propor soluções que atendam às demandas acordadas durante a votação, respeitando todos os limites legais e o teto de gastos”, escreveu Lira, que não tem feito questão de esconder sua irritação com o ministro da Economia, Paulo Guedes.

O prazo para a sanção do Orçamento vence daqui a três dias, nesta quinta-feira, mesmo dia em que deve ser instalada a CPI da Pandemia no Senado. O presidente Jair Bolsonaro tem uma semana e tanto pela frente…

Publicidade