Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Por Robson Bonin Notas exclusivas sobre política, negócios e entretenimento. Com Gustavo Maia e Mariana Muniz. Este conteúdo é exclusivo para assinantes.

‘Saí em paz’

Com passaporte para lá de carimbado, Antonio Patriota esquiva-se como poucos de temas espinhosos, principalmente quando o assunto passa pela Bolívia. Lógico, Patriota caiu da cadeira do Ministério das Relações Exteriores após seu subordinado Eduardo Saboia capitanear um resgate clandestino do senador boliviano Roger Molina para o Brasil. Patriota não passa recibo quando perguntado se […]

Por Da Redação Atualizado em 31 jul 2020, 05h19 - Publicado em 26 set 2013, 07h02

Sem mágoas?

Com passaporte para lá de carimbado, Antonio Patriota esquiva-se como poucos de temas espinhosos, principalmente quando o assunto passa pela Bolívia. Lógico, Patriota caiu da cadeira do Ministério das Relações Exteriores após seu subordinado Eduardo Saboia capitanear um resgate clandestino do senador boliviano Roger Molina para o Brasil.

Patriota não passa recibo quando perguntado se há qualquer ressentimento com a sua saída do governo Dilma Rousseff:

– Mágoa, nenhuma. Saí do ministério em paz, absolutamente tranquilo.

Mais cedo ou mais tarde, Patriota voltará ao Itamaraty para tratar do assunto incômodo: uma sindicância foi aberta com o objetivo de apurar responsabilidades no episódio Molina.

Patriota, claro, não adianta nem uma vírgula aos que querem saber a qual distância ele vem acompanhando a investigação interna:

– Em algum momento, sim, terei de prestar esclarecimentos, mas não estou acompanhando nada. Esse caso está a cargo do ministro Luiz Alberto Figueiredo e prefiro não comentar nada sobre Bolívia.

Continua após a publicidade
Publicidade