Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

VEJA Mercado: Turismo e shoppings sobem com nova expectativa de vacina

Ibovespa bate quinto recorde seguido e ultrapassa 130 mil pontos

Por Diego Gimenes Atualizado em 4 jun 2021, 18h17 - Publicado em 4 jun 2021, 17h52

VEJA Mercado fechamento, 4 de junho.

Bateu na trave e… entrou! O Ibovespa namorou com os 130 mil pontos na parte da tarde e, na bacia das almas, fechou a 130.125 pontos, alta de 0,40%. É o quinto recorde seguido.

As ações das empresas de setores que foram mais afetados pela pandemia começam a mostrar uma recuperação, em especial depois da promessa do governador de São Paulo, João Doria, que disse, na quarta-feira, 2, que vai vacinar todos os adultos até outubro. Vacina é sinônimo de volta à normalidade, e, nesse sentido, ações como a da CVC se beneficiam por atuar no turismo, um dos setores mais afetados pela pandemia e que deve retomar de forma agressiva quando os tempos difíceis passarem.

Os papéis da CVC foram os que mais valorizam no dia, subindo 7,41% pela expectativa de aceleração no ritmo de vacinação no país. Na mesma esteira da expectativa pela vacina, o segmento de shoppings centers também foi bem e companhias como Iguatemi, Multiplan, e BR Malls subiram 5,37%, 4,84% e 4,53%, respectivamente. “É preciso lembrar que essas são ações que despencaram e ainda não retomaram ao patamar pré-pandemia. A promessa de vacinação para todos os adultos até outubro ajuda a acelerar esse processo”, argumenta Pedro Serra, gerente de research da Ativa Investimentos.

No outro lado da mesa, chamaram atenção as baixas de BRF e Marfrig, protagonistas da bolsa na semana. Nesta sexta-feira, as empresas tiveram queda de 2,48% e 1,27%, respectivamente. Após comprar mais de 30% da BRF, a Marfrig, agora, deve diminuir o ritmo de compra e aguardar a próxima eleição do conselho da BRF para tentar marcar mais posição na empresa, apesar de garantir que não quer mandar na companhia.

Na semana, o Ibovespa avançou 3,64%, muito por conta do resultado do PIB do primeiro trimestre do ano, que veio acima do esperado.

 

Continua após a publicidade
Publicidade