Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Tanure parte para o ataque na Alliar, empresa de diagnóstico de imagens

Empresário pede destituição do conselho de administração e aumento de capital

Por Josette Goulart Atualizado em 28 set 2021, 10h29 - Publicado em 27 set 2021, 09h46

O empresário Nelson Tanure começou sua ação para tumultuar a administração da Alliar, a empresa de laboratórios de diagnósticos de imagens que está sendo disputada por diversos compradores. O fundo MAM, que pertence a Tanure, está pedindo que a empresa convoque uma assembleia geral extraordinária para destituir o conselho de administração, fazer um novo Plano Estratégico, destituir o conselho fiscal, aumentar o capital (o que diluiria os atuais acionistas que não acompanhem o aumento de capital) e trocar o comitê médico por um conselho médico. O fundo possui pouco mais de 5% das ações, o que lhe dá o direito de pedir a convocação. Tanure possui ainda, por meio de outros veículos, outros 25% da empresa, num total de 30%. O ataque de Tanure está sendo visto pelos acionistas que controlam a empresa como uma mensagem de hostilidade, já que como ele tem uma posição minoritária, o bloco de controle consegue barrar este tipo de iniciativa.

O empresário afirmava que não tinha intenção de ser majoritário na empresa, mas, para tentar barrar as investidas de Tanure, os médicos, que são acionistas pulverizados da Alliar, se reuniram para formar um bloco de controle para decidir o futuro da companhia. Na época em que isso aconteceu, há pouco mais de um mês, a Rede D’Or também estava interessada em comprar os laboratórios, mas desistiu do negócio. O grupo Fleury, no entanto, continua avaliando o ativo.

Publicidade