Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Saiba por que a reforma administrativa pode ser um bom cabo eleitoral

Comissão que analisa o texto que muda a contratação de servidores públicos deve terminar os trabalhos até 30 de agosto

Por Josette Goulart Atualizado em 1 jul 2021, 10h57 - Publicado em 1 jul 2021, 10h51

Nos corredores virtuais da Câmara dos Deputados, o que se diz é que a reforma administrativa vai andar mesmo sem a vontade do governo. Alguns deputados não veem o calendário eleitoral como empecilho, muito pelo contrário, pois acreditam que a reforma pode ajudar a conquistar votos nas eleições dos próximos anos. Se a reforma for aprovada do jeito que está caminhando, o setor público poderá gerar muitos empregos com a permissão de contratações temporárias e de livres nomeações, especialmente para cargos que exigem menos experiência profissional ou cursos superiores. Além disso, o presidente da Câmara, Arthur Lira, já garantiu que não vai mexer nos direitos dos atuais servidores.

Ontem, o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) conseguiu assinaturas suficientes para incluir na discussão da comissão a emenda que inclui o Judiciário na reforma. Foi uma forma de seguir que as discussões avançassem, mas não necessariamente o Judiciário entrará no texto final que vai ao Plenário. O planejamento é de que o texto seja votado até dia 30 de agosto na Comissão e até medos de setembro no Plenário da Câmara. 

Publicidade