Clique e assine com até 92% de desconto
Radar Econômico Por Machado da Costa Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças.

Reforma tributária perde urgência no Congresso a pedido do governo

Em mensagem publicada no Diário Oficial da União, Bolsonaro tornou sem efeito medida que solicitava prioridade a proposta da CBS

Por Larissa Quintino Atualizado em 4 set 2020, 12h28 - Publicado em 4 set 2020, 11h57

Em edição extra do Diário Oficial da União, publicada no fim da manhã desta sexta-feira, 4, o presidente Jair Bolsonaro cancelou o pedido de urgência feito ao Congresso Nacional para a tributação da reforma tributária. A mudança confirma que a equipe econômica tirou o pé do acelerador na modificação do arcabouço tributário e irá priorizar a reforma administrativa, que muda a estrutura do funcionalismo público. Inicialmente, o governo pediu urgência quando enviou o texto ao legislativo, em meados de julho.

ASSINE VEJA

Os riscos do auxílio emergencial Na edição da semana: a importância das reformas para a saúde da economia. E mais: os segredos da advogada que conviveu com Queiroz
Clique e Assine

O plano de enviar a tributária em capítulos para o parlamento, que em teoria facilitaria a aprovação da mudança no sistema de impostos, não funcionou como o governo planejou. A primeira parte, que substitui o PIS e Cofins com a criação da Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS) desagradou o setor de serviços, responsável pela maior parcela do PIB e maior prejudicada em uma possível aprovação da proposta de reforma pretendida pela equipe de Guedes.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

  • Publicidade