Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Econômico Por Machado da Costa Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças.

Promessa não cumprida pela Receita deixa bancos em polvorosa

Prazo da redução para zero da alíquota do IOF vencia nesta sexta-feira; bancos ouviram que desoneração seria estendida até o fim do ano, mas não aconteceu

Por Machado da Costa - Atualizado em 2 out 2020, 14h21 - Publicado em 2 out 2020, 12h15

Uma promessa feita pelo Ministério da Economia aos bancos estão deixando as instituições financeiras em polvorosa nesta sexta-feira, 2. A Receita Federal, em 2 de abril, zerou o Imposto sobre Operação Financeira (IOF) por seis meses. Foi uma das medidas para aplacar os efeitos nocivos da pandemia de Covid-19. Contudo, o secretário da Receita Federal, José Tostes Neto, garantiu aos bancos que a alíquota zero seria estendida até o fim deste ano.

Os bancos estavam contando com a publicação da informação no Diário Oficial da União nesta sexta-feira, 2. Contudo, a publicação não veio. Agora, estão correndo para ajustar os sistemas para contemplar a alíquota anterior à decisão de abril: 3%. O IOF zero teve um impacto nas contas do governo de 7 bilhões de reais.

Atualização 14h20: Fontes do governo afirmam que o texto está no Palácio do Planalto, apenas aguardando a assinatura do presidente Jair Bolsonaro. Ainda pode sair em edição extra, na tarde desta sexta.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

Continua após a publicidade
Publicidade