Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Por que Minerva, BRF e Marfrig sobem na bolsa mesmo com vaca louca?

VEJA Mercado: preço do boi caiu após confusão e analistas veem oportunidade de empresas do setor comprarem gado mais barato

Por Diego Gimenes Atualizado em 10 set 2021, 18h58 - Publicado em 11 set 2021, 12h30

Os dois casos de “vaca louca” confirmados no Brasil que provocaram a suspensão das exportações de carne bovina para a China deveriam, em tese, trazer alguma instabilidade para o setor. Mas aconteceu o contrário. A Minerva, por exemplo, viu seu papel valorizar 13,27% em apenas uma semana. Segundo os analistas, a suspensão é considerada temporária, e a crise abriu uma oportunidade de compra de gado a um preço menor. “Por mais que as exportações tenham sido suspensas, deve durar pouco tempo e essas empresas estão com caixa”, avalia Flávio Aragão, sócio da 051 Capital. “O preço do boi caiu, mas o que eles vão ganhar comprando esse boi? É uma oportunidade de comprar matéria-prima mais barata e abastecer o mercado interno com esse gado mais barato”. Para se ter uma ideia, o boi gordo comercializado na B3 em 31 de agosto custava 311 reais. Ontem, sexta-feira, 10 de setembro, o mesmo boi fechou o dia a 294,95 reais, uma queda de 5,2% no período.

Além disso, a sexta-feira foi de boas notícias para os players desse setor. A BRF anunciou que vai vender 100 produtos de suas marcas no marketplace do Magazine Luiza e a Minerva decidiu investir 3 milhões de dólares na startup de agronegócio Traive, que busca soluções financeiras, de crédito e seguros para produtores rurais de pequeno e médio porte. Além disso, o dividendo de 958 milhões de reais anunciado pela Marfrig foi distribuído aos investidores que fecharam o pregão de ontem com posição na companhia. Minerva, BRF e Marfrig subiram 6,10%, 3,03% e 2,45%, respectivamente.

Publicidade