Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Por que Doria ainda não privatizou a Sabesp?

Investidores duvidam que processo aconteça ainda no atual governo

Por Josette Goulart Atualizado em 12 out 2021, 11h37 - Publicado em 12 out 2021, 17h15

O mercado financeiro tem aguardado com ansiedade a prometida privatização da Sabesp e até fez subir as ações da companhia quando Rodrigo Maia chegou ao governo de São Paulo como secretário de projetos e ações estratégica dizendo que tinha por missão fazer a privatização da companhia. Passado dois meses no cargo, Maia pouco tem influído na venda da companhia de saneamento. Em junho deste ano, o secretário da fazenda, Henrique Meirelles, já tinha dito que o governo contrataria uma consultoria do Banco Mundial para fazer a análise da venda. Mas, somente há duas semanas, o conselho de desestatização efetivamente recomendou a contratação do IFC, que é o braço de análise do Banco Mundial, para estudar as melhores alternativas. Maia chegou a assinar a recomendação, mas ele mesmo tem dito que foi o governador Joao Doria que insistiu que ele assinasse, apesar de o processo ser comandado mais por Rodrigo Garcia, o vice-governador. 

A investidores, Maia tem dito que existe uma chance de a empresa ser privatizada no próximo ano. Uma chance? A avaliação  não deixou ninguém muito animado para que de fato aconteça ainda neste governo já que o próximo ano é ano de eleições. “Para que privatizar uma companhia que faz de 2 a 3 bilhões de reais em obras públicas todo ano?”, conclui um gestor de fundos que tem interesse na empresa.

Publicidade