Clique e assine a partir de 8,90/mês
Radar Econômico Por Machado da Costa Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças.

Pesquisa XP/Ipespe: 68% dos brasileiros querem auxílio emergencial em 2021

Levantamento mostrou, ainda, diminuição na taxa de rejeição à administração do presidente Jair Bolsonaro

Por Felipe Mendes - Atualizado em 15 out 2020, 10h43 - Publicado em 15 out 2020, 09h40

Segundo pesquisa XP/Ipespe, publicada nesta quinta-feira, 15, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) diminuiu a taxa de rejeição à sua administração. O levantamento, que coletou opiniões de 1.000 pessoas em diversas regiões do país, mostra uma queda de 5 pontos porcentuais na rejeição ao governo federal, que agora tem uma avaliação positiva 8 pontos porcentuais sobre a negativa — são 39% os que consideram a administração ótima ou boa (estável em relação à pesquisa anterior) contra 31% que a veem como ruim ou péssima (eram 36% no levantamento de setembro).

Os entrevistados também foram questionados sobre o auxílio emergencial pago pelo governo. Para 68% da população, o governo deveria estender o benefício aos primeiros meses de 2021, caso não tenha conseguido implementar um novo programa de transferência de renda até lá. A proporção de aprovação é maior entre os que já são agraciados atualmente: o número vai a 73% entre os que recebem o auxílio, e atinge 65% entre quem não tem o benefício hoje. Dentre os que recebem o auxílio, apenas 22% disseram ter a crença de que serão contemplados pelo novo programa de transferência de renda, o Renda Cidadã, que está em fase de gestação. O ministro da Economia, Paulo Guedes, é contra a extensão do auxílio. “Tem um plano emergencial e o decreto de calamidade que vão até o fim do ano. E no fim de dezembro acabou tudo isso”, disse ele, recentemente.

+ Siga o Radar Econômico no Twitter

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade