Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Não é só insumo de vacina, China lembra que é enorme consumidor agrícola

Embaixador da China faz postagem lembrando que país é um grande mercado consumidor para as empresas brasileiras agrícolas

Por Josette Goulart Atualizado em 13 Maio 2021, 16h12 - Publicado em 13 Maio 2021, 10h11

Em meio à discussão sobre o atraso no envio de insumos chineses para fabricação das vacinas contra Covid-19 depois de declarações do presidente Jair Bolsonaro e do ministro Paulo Guedes, o embaixador do país no Brasil, Yang Wanming, lembrou em sua conta de Twitter oficial que o país também é um grande consumidor de produtos agrícolas das empresas brasileiras. O embaixador compartilhou nesta quinta-feira, 13, um artigo do Diário do Povo que diz que “o enorme mercado consumidor da #China é uma grande oportunidade para as empresas brasileiras de produtos agrícolas”.

No ano passado, a China foi destino de 33,7% das exportações agrícolas brasileiras com receita de quase 34 bilhões de dólares. Para se ter uma ideia da relevância do país para o mercado agrícola brasileiro, a China sozinha superou a soma dos outros 13 principais mercados para os produtos agrícolas brasileiros, incluindo os Estados Unidos nesta soma.

Ontem, o governador de São Paulo, João Doria, disse que no sábado o Instituto Butantan vai paralisar a produção por falta do  insumo para fabricar a vacina e culpou as declarações de Bolsonaro e Guedes. Bolsonaro insinuou que a pandemia pode se tratar de uma guerra química provocada pela China e o ministro Paulo Guedes disse que o vírus foi criado na China e mesmo assim o país produziu uma vacina pior do que a americana. A procuradoria junto ao Tribunal de Contas da União solicitou que o tribunal tome providências para verificar as consequências das falas de Bolsonaro. 

Publicidade