Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças

Montadora Ford fechará suas três fábricas de automóveis no Brasil

Empresa afirma estar reestruturando sua operação na América do Sul

Por Machado da Costa Atualizado em 12 jan 2021, 08h17 - Publicado em 11 jan 2021, 16h17

Um ano após completar um século de presença no Brasil, a Ford Motors tomou uma decisão drástica. Encerrará a produção de veículos em suas três plantas de produção que possui no Brasil. Elas estão em Camaçari (BA), Horizonte (CE) e Taubaté (SP). Em 2019, já havia fechado a planta de São Bernardo do Campo (SP). A companhia ainda manterá instalações e um departamento de engenharia no Brasil, mas não fabricará mais automóveis ou caminhões em solo nacional. Serão impactados os empregos de 5.000 trabalhadores.

  • Apesar do fim da produção, a companhia continuará a vender carros no país e a dar assistência aos clientes. Contudo, os veículos que eram produzidos no Brasil, agora virão da Argentina e do Uruguai. A motivação para tal decisão está nos anos sequenciais de perdas severas no Brasil. O rombo é tão grande que apesar da conta bilionária que a montadora americana terá de pagar para deixar o país, a decisão foi tomada mesmo assim. Para encerrar a operação, a Ford pagará despesas de 4,1 bilhões de dólares (22,55 bilhões de reais).

    Em nota, a empresa afirma que “continua comprometida com os consumidores no Brasil e na América do Sul com a nova picape Ranger, a Transit e vários de seus modelos mais icônicos, com planos de lançar diversos novos veículos conectados e eletrificados”. “A Ford Brasil encerrará a produção nas plantas de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e da Troller (Horizonte, CE) durante 2021, à medida em que a pandemia de Covid-19 amplia a persistente capacidade ociosa da indústria e a redução das vendas, resultando em anos de perdas significativas. A companhia manterá no Brasil a sede administrativa da América do Sul, o Centro de Desenvolvimento de Produto e o Campo de Provas.”

    + Siga o Radar Econômico no Twitter

    Continua após a publicidade
    Publicidade