Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia
Radar Econômico Por Josette Goulart Análises e bastidores exclusivos sobre o mundo dos negócios e das finanças. Com Diego Gimenes.

Ministério Público avança contra farmacêutica Sanofi 

Procuradores investigam possível compra de sentença em causa tributária

Por Josette Goulart Atualizado em 9 jul 2021, 19h02 - Publicado em 12 jul 2021, 07h00

O Ministério Público Federal, em São Paulo, abriu um inquérito civil para apurar prejuízos ao erário e enriquecimento ilícito em processo que envolve a farmacêutica Sanofi-Aventis. A empresa está sendo investigada dentro do âmbito da Operação Westminster, que chegou a prender o juiz federal Leonardo Safi de Melo, no ano passado, por um esquema de venda de sentenças. A Sanofi é investigada como  uma das empresas que teria pago para ter sentença favorável em uma causa tributária. A empresa, em nota, diz que desconhece qualquer procedimento investigatório no âmbito da Westminster. “Ressaltamos que todas as ações da Companhia estão de acordo com os princípios da ética e transparência que sempre pautaram nossa atuação”. 

Na portaria de abertura do inquérito civil, datada de 05 de maio deste ano, a procuradoria diz que “os documentos constantes dos autos (do inquérito que investiga os indícios de corrupção) dão conta de possível prática de ato(s) de improbidade administrativa que importou (importaram) enriquecimento ilícito, causou (causaram) prejuízo ao erário e atentou (atentaram) contra os princípios da administração pública”. Segundo alguns advogados criminalistas, o papel deste inquérito é já apurar possíveis valores que eventualmente terão que ser ressarcidos caso se confirme o caso criminal, para que se agilizem indenizações ao Estado. O MPF diz que o processo está correndo sob sigilo. 

Publicidade